Betaterapia: a radiação que combate queloides

13 de julho, 2020 em Notícias

http://iov.com.br/files/c/337/424x322.png
 
 

Pacientes que enfrentam o desconforto de conviver com queloides provocados por cirurgias, cortes, queimaduras entre outros problemas, podem contar com a Betaterapia. O tratamento utiliza a aplicação de radiação ionizante para combater o problema de cicatrização e está disponível na radioterapia do Instituto de Oncologia do Vale. 

Segundo a médica radio-oncologista Dra. Sarah Leal Vilela dos Reis, pacientes que passam por cirurgias e, posteriormente, à Betaterapia precoce têm até 85% de chance de controle da formação de queloides. “O tratamento é rápido, dura em torno de 5 a 10 dias, e tem baixo risco de efeitos colaterais, pois a radiação emitida penetra somente alguns milímetros na pele e não atinge os órgãos internos”, afirma. 


Como o tratamento é feito? 

A Betaterapia é realizada por meio do posicionamento de uma placa de Estrôncio 90 (um tipo de material radioativo) sobre toda a cicatriz, pelo tempo calculado pelo físico para a deposição da dose de radiação prescrita pelo médico. O tratamento é indolor.